SUGESTÃO DE COMPRAS PELA CURVA ABC

A gestão eficaz do estoque evita produtos encalhados e prejuízo acumulado. Para manter um estoque que não comprometa seu capital de giro e ainda não gere perda de venda por falta em estoque, é possível organizar a reposição pela CURVA ABC.

O conceito de CURVA ABC é baseado no teorema 80-20 do Italiano Vilfredo Pareto. Um estudo de Pareto desenvolvido na Itália, no século XIX, sobre renda e riqueza, observou que 80% da riqueza italiana estava na mão de apenas 20% da população.

Seguindo esse conceito podemos dividir os produtos em classes, como o exemplo abaixo:

Classe A: de maior importância, correspondendo a 80% do total;
Classe B: com importância, correspondendo a 15% do total;
Classe C: de menor importância, correspondendo a 5% do total.

Essa divisão pode ser analisada por 3 formatos de reposição do estoque de produtos para o varejo. Essas opções podem variar por tipo de produto e serem configuradas por seção, grupo e subgrupo de estoque.

1 – Frequência de venda (Recomendado)

Para a maioria dos produtos de estoque essa é a melhor análise para a reposição, onde é analisada a frequência em que o produto é vendido, independentemente da quantidade ou valor. 

Um produto vendido frequentemente ocupará uma classe superior a um produto que não possui uma frequência mensal, não é considerado a quantidade vendida. Para esta opção as classes ABC são definidas em meses. Ex: Se considerado o período de histórico de venda seis meses, a classe A=6 meses, B=4 meses e C=2 meses, considera-se da classe A os produtos que foram vendidos em todos os 6 meses, na classe B os produtos que foram vendidos em 4 ou 5 meses, na classe C os produtos que foram vendidos em apenas 2 ou 3 dos meses, e na classe D ficariam os demais produtos.

2 – Demanda x Custo médio

Produtos com valor agregado, devem ser analisados utilizando a demanda de venda multiplicado pelo valor do custo médio. 

Essa opção irá valorizar os produtos com maior valor de custo médio. As classes são definidas por percentual. Após multiplicado a demanda pelo custo, os valores de todos os produtos relacionados são somados e através do valor total são definidos os valores de cada classe. Ex: Considerando-se o período de histórico de venda 6 meses, a classe A=50%, B=30% e C=20%, multiplica-se a demanda pelo custo médio individualmente e soma-se os valores de todos os produtos relacionados atingindo um valor total, 50% deste valor corresponde a classe A, ou seja, todos os produtos em ordem de valor de demanda X custo até se atingir 50% do valor total. Segue-se calculando até atingir 30% do valor total, este produtos correspondem a classe B, na sequência do cálculo, até atingir 20% do valor total são os produtos da classe C, os demais produtos correspondem a classe D.

3 – Quantidade vendida

Utilizada para produtos com valor baixo e que tem volume de quantidade vendida, deve ser analisado a reposição pelo histórico de quantidade vendida. Ex. parafusos, arruelas etc.

Considera-se apenas a quantidade vendida no período do histórico de vendas. Esta opção deve ser utilizada entre produtos que possuam o mesmo múltiplo de venda entre sí, ou seja, não se deve incluir no mesmo cálculo produtos que sejam vendidos em caixa e produtos que sejam vendidos em milheiro. O cálculo é feito somando-se as quantidades de todos os produtos relacionados, a partir do valor total são definidas as classes através de percentuais. Ex: Considerando-se o período de histórico de venda 6 meses, a classe A=50%, B=30% e C=20%, soma-se os estoques de todos os produtos relacionados atingindo uma quantidade de venda total, os produtos que somados atingirem 50% desta quantidade formam a classe A, ou seja, os produtos mais vendidos até se atingir 50% da quantidade total. Segue-se calculando até atindir 30% da quantidade total, este produtos correspondem a classe B, na seqüencia do cálculo, até atingir 20% da quantidade total são os produtos da classe C, os demais produtos correspondem a classe D

*O relacionamento de cada produto com sua classe (A, B ou C) é gerado através do histórico de vendas, o ideal é considerar os últimos 6 meses.

Estoque Mínimo e Estoque máximo.

Depois de configurado a opção de analise para cada Seção, Grupo e Subgrupo de estoque, o próximo passo é determinar o estoque mínimo e o estoque máximo de cada produto.

Na análise do histórico de venda dos últimos 6 meses é possível, fazer também, o cálculo do mínimo e máximo sugerindo as quantidades necessárias para atender seu cliente sem perder venda e não comprometer seu capital de giro.

DICA: Registre as vendas perdidas para gerar um histórico de demanda de venda mais preciso ainda.